23.10.04

CANÇÕES DO RITZ: NIGHT AND DAY

Há quarenta anos atrás - mais exactamente no dia 15 de Outubro de 1964 - desaparecia aquele que é, provavelmente, o melhor autor de canções de sempre:Cole Albert Porter.Oriundo de famílias abastadas, Porter pôde dar-se ao luxo de escapar das angústias do quotidiano que atormentavam muitos dos seus colegas compositores. O seu casamento com Linda Darnell - riquíssima herdeira e socialite - levou-o ainda mais a habitar uma torre de marfim feita de sofisticação, riqueza,cultura e excelentes cocktails. Tudo isto se reflecte nas suas canções, pérolas de wit e prodígios de rimas. Porter era intenso admirador de Robert Browning, poeta inglês famoso pelo cuidado da forma poética. E é assim que surgem as fantásticas rimas internas, os aforismos em verso, e tudo acompanhado por uma melodia muitas vezes genial que o próprio compunha. Cole Porter é hóspede permanente do Ritz, pelo que aqui voltará a ser falado. Hoje, recorde-de uma das suas grandes canções: Night And Day. Apresentada pela primeira vez no filme Gay Divorce, de 1932,e cantada por Fred Astaire , Night And Day é um diamante.Uma canção cuja melodia é luminosa e geométrica, com uma transição perfeita do A para o B, em que o tom e o acorde se prolongam de um para o outro. A lenda diz que Porter terá apanhado a melodia durante uma sua estada em Marrocos com a Legião Estrangeira, mas desconfie-se destas histórias de dinner parties.
Night And Day só aparentemente é uma canção de amor inocente; o que aqui se trata é de obsessão, pura e dura. O desejo de o amante de possuir, no sentido metafísico, o ser amado. Tem um lado claustrofóbico, bem assinalado no verse (introdução), em que se sublinha a repetição ("Like the beat beat beat of the tom tom")e o lado quase psicopata da relação. As melhores canções de Porter têm esta ambiguidade, um rio escuro e subterrâneo por baixo das aparências - provavelmente pela própria sexualidade do autor, que era elegantemente consentida mas nunca assumida. Vejamos então:

verse
Like the beat beat beat of the tom-tom
When the jungle shadows fall
Like the tick tick tock of the stately clock
As it stands against the wall
Like the drip drip drip of the raindrops
When the summer shower is through
So a voice within me keeps repeating you, you, you

chorus
Night and day, you are the one
Only you beneath the moon or under the sun
Whether near to me, or far
It's no matter darling where you are
I think of you
Day and night.
Night and day, why is it so
That this longing for you follows wherever I go
In the roaring traffic's boom
In the silence of my lonely room
I think of you
Day and night.

(bridge)
Night and day
Under the hide of me
(e aqui uma genial quase aliteração de em crescendo:fome, ânsia, queimar)
There's an oh such a hungry yearning burning inside of me
(e para que se veja que a coisa é mesmo séria, o amante fala de tormento)
And this torment won't be through
Until you let me spend my life making love to you
Day and night, night and day


Simplesmente perfeito. As versões que o Ritz aconselha são as de Ella Fitzgerald (The Cole Porter Songbook), Fred Astaire com Oscar Peterson (The Astaire Story, Verve)e, claro, Sinatra: a versão jazzy com o combo de Red Norvo em Live In Australia é uma aula prática da arte Sinatriana de possuir uma canção, com alterações de versos, arranques antes e depois do tempo, acentuações brilhantes em sílabas inesperadas.

6 Comments:

Blogger GS said...

Billie Holiday também tem uma versão bonita.
Venham mais, cocktails e canções ;-)

10:24 PM  
Blogger major said...

Tens razão, GS. Uma versão linda, de resto. E obrigado.

12:04 AM  
Blogger Luís Bonifácio said...

Existe ainda uma versão de Nigth and Day dos Everything but the girl (no inicio de carreira). É uma versão Bossa nova espectacular.

1:50 AM  
Blogger major said...

Tens toda a razão, Luís:é o primeiro EP dos Everything But The Girl, e de facto uma versão muito bonita.

12:55 PM  
Blogger Inês said...

U2 para Red Hot and Blue, tão assumidamente obsessiva pelos quatro de Dublin.

4:49 AM  
Blogger major said...

Olá Inês! É verdade, os U2 compreenderam essa urgência e obsessão e fizeram uma versão musicalmente fiel mas em que a voz de Bono diz tudo. A canção foi cantada por muita gente de muitas maneiras; mas, curiosamente, a pior versão que conheço é de ...Sinatra, num desvario da sua fase Reprise-década de 70:Night and Day em disco sound. Só que a canção é tão boa que resiste a tudo.

12:10 AM  

Post a Comment

<< Home

Site Meter